domingo, 15 de março de 2009




VENTANIA* (musicada por Cardo Peixoto*)

E de repente acontece uma prece
uma teia de amor que alma tece.
E de repente é uma eternidade,
e logo depois é minuto.

E quando eu me escuto no ato
vasculho o que eu grito
e o que eu calo.
E de repente acontece de novo,
e logo depois é segundo.

E quando o meu mundo não gira
eu sinto uma pressa, uma ira.
E de repente é cansaço de febre
e logo depois é mormaço.

E quando a cama é asfalto,
eu queimo esTe sol a pino
Me reconheço de fato...
De repente a teia é o destino.

LuciAne

4 comentários:

Helen De Rose disse...

Olá Luciane, encontrei seu blog no seu perfil. Fico feliz em saber que seus versos estão virando canções. Parabéns! Bastante sucesso pra vc!!

Márcia Sanchez Luz disse...

Lu, que prazer receber sua visita em meu blog! Obrigada pelo carinho das palavras.
Seu blog está lindo, viu?

"uma teia de amor que alma tece."

Adoro este verso.

Beijos, com meu carinho

Márcia

Faust Sotam disse...

Como o amor é fugaz, como a ansiedade nos faz tremer, como todos caimos na teia do Amor. Paz. Visita este blog onde abordo esse tema : http://artinterventiva.blogspot.com/

Esther Alcântara disse...

Lu,
Voc~e foi escolhida por mim para receber o prêmio "Blog inteligente e feminino". Vá até minha página e veja como funciona, tá?
beijo,
Esther