quarta-feira, 10 de setembro de 2008

**BALBUCIO**


Moe-me um silêncio de alcova.

Palavras mal dormidas na boca,

estalam a língua, precipitipam-se

no ventre-corpo...

No hálito que balbucia

qualquer coisa de nós,

essa palavra sorrateira...

Entrego-me:

Falo qualquer besteira,

e mato no beijo o que eu queria dizer.


LuciAne

2 comentários:

Lídia Chaves disse...

Você brinca muito bem com as palavras tão sorrateiras! =)

Cosmunicando disse...

gostei dos seus versos, muito grata surpresa nas minhas andanças virtuais. Parabéns!